sexta-feira, 27 de maio de 2011

Talking Heads - Remain in Light (1980)


Talking Heads, tá aí uma grande banda que demorou para aparecer por aqui! Atitude punk, mas com profundidade, é o melhor dos mundos, vide o Television ou o Dead Kennedys. E o grupo de David Byrne, Jerry Harrison, Tina Heymouth e Chris Franz são a epítome do conceito 'punks de escola de arte', afinal se conheceram (menos Harrison, que era dos Modern Lovers) na Rhode Island School of Design, ainda no começo dos anos 70. Em meados da década, instalados em Nova York, começaram a exercitar suas nada convencionais idéias musicais e caíram muito bem na nascente cena punk centrada no mítico CBGB's, onde abriram shows para os Ramones. As letras e os vocais GEEKY de Byrne (muito antes dos geeks virarem moda) e o instrumental minimalista e vanguardista colocaram os Heads ao lado do Television na vertente 'art-punk'.

Seu primeiro disco, lançado em 1977 e intitulado simplesmente '77' tinha a genial 'Psycho Killer'. A entrada em cena do não menos mítico produtor BRIAN ENO a partir do segundo disco, More Songs About Buildings and Food' começou a inexorável guinada da banda para uma certa new wave 'séria' e que passou a incorporar experimentalismos e ritmos dissonantes, comelando também a busca de Byrne por ritmos exóticos, principalmente africanos. E o ápice dessa parceria sem dúvida é este Remain in Light, lançado em 1980, que superou o já altíssimo nível do anterior 'Fear of Music'.

Byrne, compositor e principal das cabeças pensantes da banda, deu mais trabalho para os outros músicos, inclusive muitos convidados, em sua tentativa de reinterpretar por sua mente de punk novaiorquino ritmos e lendas africanas. Eno deixou sua marca no impecável amálgama do art rock new wave, com ecos de Velvet Underground, aos ritmos quebrados e à espiritualidade afro, com um pronunciado groove funk. Difícil entender, né? Então o negócio é ouvir! A primeira faixa, Born Under Punches (The Heat Goes On) já mostra a que veio, com uma linha rítmica hipnótica, o vocal peculiar de Byrne e barulhinhos legais. O resto é só deleite. A música mais conhecida, 'Once in a Lifetime', tem uma percussão polirítmica from hell e um tecladinho espacial que faz a voz de Byrne fluir como água. O resto mantém o nível. Todos os oito discos lançados pelos Heads entre 1977 e 1985 são excelentes, mas esse aqui é o creme do creme!

Se liga no clipe de 'Once in a Lifetime'


e cai de cabeça no disco completo!

Talking Heads - Remain in Light (1980)

01 - Born Under Punches (The Heat Goes On)
02 - Crosseyed and Painless
03 - Houses in Motion
04 - Listening Wild
05 - Once in a Lifetime
06 - Seen and Not Seen
07 - The Great Curve
08 - The Overload

Ouveaê!

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Excelente albúm, se bem que ainda considero o Fear of Music melhor.

    ResponderExcluir